Carnaval: Dias de folia ou de birdwatching?

Acredito que todo observador de aves aproveita qualquer brecha no calendário pra organizar uma saída para ver passarinho. Pode ser feriadinho, feriado ou feriadão, sempre encontramos uma maneira pra praticar o birdwatching,

Nesse carnaval não foi diferente comigo, vim com a família da minha namorada para Torres, município localizado no litoral norte gaúcho. Assim que eu soube da possibilidade de virmos para cá, entrei em contato com o Gustavo Plucenio, observador da cidade e tentei combinar com ele uma saída para vermos alguma coisa diferente.

Conseguimos acertar todos os detalhes e saímos numa tarde e numa manhã. O tempo era curto, pois ele também viajaria com a família, mas mesmo assim o saldo da “passarinhada” foi extremamente positivo para mim e para ele.

Cheguei em Torres no início da tarde de sexta-feira e já havia combinado de encontrar o Gustavo por volta das 15h. O que me assustou logo na chegada foi o forte vento. Quem fotografa sabe o quanto o vento pode atrapalhar a observação. Conosco, não foi diferente…

Fomos até a Lagoa do Violão atrás das aves que por lá habitam, como garças, biguás e outras aves aquáticas. Conseguimos fazer alguns registros bem legais e algumas espécies facilitaram bastante, como a garça-branca-pequena (Egretta thula) que pouco se importou com nossa presença.

Saímos da lagoa e rodamos mais um pouco pelo perímetro urbano da cidade, mas infelizmente não encontramos nada de legal, como eu falei anteriormente, o vento atrapalha demais a observação de aves.

O ápice estava reservado para o segundo dia. Combinamos de ir até o Parque Estadual de Itapeva, local que eu sempre quis conhecer e tive a oportunidade graças ao empenho do Gustavo, que conseguiu a liberação para nós.

No sábado pela manhã, saímos de casa por volta das 6:30 da manhã e fomos em direção ao Parque. Chegamos lá e começamos a fotografar bem cedo. Meu objetivo era fazer fotos de algumas aves diferentes que não encontro no extremo sul, se rolasse algum lifer, melhor, mas sempre de “sangue doce”, não criando muitas expectativas.

Logo no primeiro ponto que paramos e tocamos playback, o sanhaçu-de-encontro-azul (Tangara cyanoptera) apareceu e nos deixou fazer ótimos registros. Pouco mais a frente encontramos muitas outras aves legais, como um indivíduo jovem de ferro-velho (Euphonia pectoralis), nunca vi uma ave dar tanto mole como esse jovenzão aí, realmente colaborou bastante conosco. Pouco mais a frente registramos o pica-pau-de-cabeça-amarela (Celeus flavescens) e a maria-da-restinga (Phylloscartes kronei), ave que esta ameaçada de extinção, creio eu que seja pela perda de habitat, como dezenas de espécies que estão ameaçadas atualmente.

Pouco mais a frente, seguindo as dicas do Gustavo, fomos atrás do barulhento (Euscarthmus meloryphus) e conseguimos encontrá-lo facilmente, o bichinho é lindo e nem sempre dá chances de foto.

Conversamos bastante durante a trilha e resolvemos voltar, visto que já estava ficando quente e as aves começaram a ficar mais “encolhidas” na mata. Entramos noutra trilha e encontramos várias flores e adivinha o que tinha por lá? Vários beija-flores!! Eram quatro espécies, destaque para o beija-flor-de-veste-preta (Anthracothorax nigricollis). Foi bem interessante observar o comportamento extremamente territorialista deles. Quando um indivíduo pousava, outro vinha e a guerra começava, muito legal ver tudo isso ali…

Decidimos voltar e ir até o Parque da Guarita, outro local interessante para observação de aves em Torres, por lá, havia registro do ferreirinho-relógio (Todirostrum cinereum). O Gustavo sabia “o ponto” onde poderíamos encontrá-lo, mas já havia ido lá algumas vezes e não conseguiu registro, mesmo assim encaramos esse desafio até lá.

Chegamos e notei a presença de muitas pessoas, afinal é carnaval e Torres é uma cidade turística, sendo assim, é inevitável ir pra um lugar público e não encontrar centenas de pessoas. Por sorte, o local onde a ave se encontrava não tinha muitas pessoas.

“De saída”, tocamos o playback e não é que o bichinho apareceu? Mas geralmente quando é umas espécie nova, bate aquela tremedeira e não conseguimos configurar a câmera a tempo de fazer uma foto. Primeira oportunidade? Perdi. Mas não desistimos e alguns minutos depois, consegui fazer um registro do danadinho. Achei que fosse mais fácil, mas esse não facilitou, o que importa é que deu pra fazer uma foto dele!! Liferzão pra mim e pro Gustavo.

Logo depois disso, o show ficou por conta do pica-pau-anão-de-coleira (Picumnus temminckii), um pica-pau minúsculo que apareceu e nos deixou fazer boas fotos, foi meu primeiro registro da espécie em território gaúcho. Anteriormente, eu havia encontrado ele apenas em Florianópolis, Santa Catarina.

Terminamos nossa “expedição”, onde tudo começou, na Lagoa do Violão. Por lá, não encontramos mais nada, já se aproximava do meio-dia e o movimento de pessoas sempre vai atrapalhar a observação de aves.

Abaixo algumas fotos desses dois dias: (Para ver em tamanho maior, basta clicar nelas).

Fica aqui meu agradecimento ao Gustavo pela companhia e por estar disponível para mim nesses dois dias por Torres. Quando falo que um dos benefícios da observação de aves é conhecer novas pessoas é por oportunidades como essa. Conheci mais uma pessoa que tem um pensamento muito parecido com o meu em relação a natureza, além disso, conheci também um local muito legal que é o PE de Itapeva. Vale a pena preservar locais como aquele, uma mata de restinga que eu jamais havia visto ainda, foi uma experiência muito boa mesmo.

Eu e o Gustavo na entrada do Parque Estadual de Itapeva.

O saldo da viagem foi sensacional, consegui registar novas espécies dentro do território do Rio Grande do Sul, consegui fazer um lifer (registrar uma espécie que até então eu não havia registrado) e registrar quase 20 espécies para o Baita Ano 2020.

Bueno galera, era isso!! Espero que o carnaval de vocês tenha sido tão proveitoso quanto o meu. Agora é descansar porque logo logo vou encarar uma jornada guiando um paulista e um baiano por 9 dias no extremo sul do Brasil. Fica ligado que o relato vai estar aqui também!!

Ah, antes que eu me esqueça, segue lá no instagram o perfil que o Gustavo publica as fotos das aves aqui de Torres. Só clicar no link: http://instagram.com/avesdetorres.

Listas do e-Bird:

https://ebird.org/checklist/S64849205

https://ebird.org/checklist/S64851590

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s